Lêda Sellaro :: Escritora
Loja On-line

UM POUCO DE HISTÓRIA SOBRE A IMPORTÂNCIA DO LIVRO E DA LEITURA.

As obras literárias, durante o Período Colonial, eram vistas pelo Estado e pela Igreja como uma ameaça à soberania da Metrópole; porque muitas delas abordavam temas que provocavam questionamentos. Desde o século XVI até meados do século XVIII, o acervo das bibliotecas brasileiras era composto de obras devocionais e religiosas. Somente a partir do século XVIII, os livros sobre ciência e conhecimentos considerados profanos integraram bibliotecas da América portuguesa; propiciando o surgimentos de redes de sociabilidade, baseadas na leitura de livros proibidos. O fato alimentou movimentos político-literários, que questionavam a Fé, a Lei e a ordem na Colônia. Portanto, foi a leitura e a prática da oralidade, desenvolvidas entre os intelectuais da época, que alavancaram movimentos que resultaram em lutas contra o domínio colonial.

7160 Comentário(s) | Deixar um comentário


Lançamento do livro CONFABULANDO EM CORDEL (ilustrações de Jarbas Domingos)


Editora CEPE


Museu do Estado de Pernambuco - outubro/2014















9062 Comentário(s) | Deixar um comentário


UM ESCRITOR NA MINHA ESCOLA

Programa do SESC - Garanhuns, em agosto de 2014









8113 Comentário(s) | Deixar um comentário


RECORDANDO A INFÂNCIA

Carrossel antigo no Museu em Grand Rapids



A parte da cidade vista do carrossel















9806 Comentário(s) | Deixar um comentário


Lançamento do livro A AVENTURA DE JOÃO COM UM TERRÍVEL GAVIÃO



























9849 Comentário(s) | Deixar um comentário


PAINEL SOBRE LITERATURA INFANTIL, NA IX BIENAL, EM 12.10.2013

Participação de Lêda Sellaro, Socorro Miranda e Emerson Pontes,

na EDITORA NOVOESTILO















8322 Comentário(s) | Deixar um comentário


O LIVRO DIGITAL



O LIVRO DIGITAL



Da escrita cuneiforme até os semitas…

Da invenção das consoantes e vogais…

Da pontuação, maiúsculas, minúsculas…

Passando por escribas medievais,

Chega-se a Gutemberg e aos tipos móveis,

Depois de cinco mil anos passados,

Quando surgem os leitores eletrônicos,

A cada dia, mais utilizados.

A nova forma física do texto,

Exposto em cristal líquido nas telas,

Acrescenta e enriquece os conteúdos,

Com informações em links e “janelas”.

A transição pra era digital,

Impõe mudanças no ler e escrever;

E essa transformação fenomenal

Envolve, nas mudanças, nosso ser.

Na era digital não há segredos

E tudo, na leitura, é registrado;

Transformado em valiosa informação,

A orientar, dos livros, o mercado.

O novo é impactante e a reação

Em torno da cultura digital

Inclui entre ferrenhos defensores

Os que vislumbram nela um grande mal.

Assim foi com a escrita, quando Sócrates,

Da palavra falada, defensor,

Afirmou que só o discurso e o diálogo

Fariam o verdadeiro pensador;

Então grassou grande transformação

Na civilização ocidental,

Que avançou,  promissora, em direção

De grande produção intelectual.

Do engano do filósofo distante

Nova mudança bem mais radical,

Suscita novos questionamentos

Sobre a cultura escrita e a digital.

A digital promoveria a escrita,

Mas, à leitura faria perder,

Da imersão toda a profundidade,

Imprescindível ao humano conhecer.

Somente o tempo e a nossa produção

Responderão à questão em aberto:

Se  planejamos mal e nos perdemos,

Ou se investimos no caminho certo.

Lêda Rejane Accioly Sellaro

9077 Comentário(s) | Deixar um comentário


PREMIO "MULHERES QUE MUDARAM A HISTÓRIA DE PERNAMBUCO"



O livro  “Mulheres que mudaram a história de Pernambuco”, 9ª edição, registra a biografia de 40 lideres femininas que fizeram e fazem história no Estado de Pernambuco, desenvolvendo uma atividade social relevante.






A primeira edição do livro foi lançada em 2004, pelo jornalista Carlos Cavalcante (ex-presidente da AIP). Após o seu falecimento em 2011, sua esposa Silene Floro assumiu a coordenação do projeto. Este ano o evento foi organizado por ela e pelos jornalistas Ramos Silva e Múcio Aguiar. O projeto é assinado pela Associação da Imprensa de Pernambuco, Casa da Imprensa e jornal Voz do Planalto. A iniciativa tem o apoio da Secretaria da Casa Civil do Governo de Pernambuco e da Secretaria de Educação do Recife.

A capa do livro é de autoria da artista plástica Tereza Costa Rêgo, diferindo dos anteriores, que estamparam fotos das homenageadas.

A solenidade, seguida de um coquetel, aconteceu no dia 09 de maio de 2013, tendo início às 17 horas, no Centro de Treinamento Professor Paulo Freire, no bairro da Madalena, emRecife. Estavam presentes cerca 450 pessoas

.

A solenidade contou com a presença do presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, deputado Guilherme Uchôa, do Chefe da Polícia Civil no Estado, Osvaldo Morais, jornalistas e outras autoridades.



3895 Comentário(s) | Deixar um comentário


VISITANDO UM MUSEU EM GRAND RAPIDS - MI

EXPOSI~CAO ESPECIAL SOBRE O TITANIC - reprodu~c"ao em tamanho natural de camarotes, mostra de objetos encontrados, al~em de informa~c"oes diversas (n"ao era permitido tirar fotos)













































832 Comentário(s) | Deixar um comentário


VELDHEER - JARDINS DE TULIPAS

















647 Comentário(s) | Deixar um comentário


Por Corisco Design